Vida Moderna e relacionamento amoroso

Algum desses cenários parece familiar?

São 22h30. Você e seu parceiro estão se preparando para se aposentar à noite. Cada um de vocês tem um tablet ou smartphone. Um deles bipa. “Era você ou eu?”, Você pergunta.

Você percebe um e-mail de um cliente estrangeiro, que diz que sabe que é tarde onde você mora, mas se você pudesse responder a uma pergunta, ele poderia dar continuidade ao projeto que está previsto para esta semana. Você responde, mesmo que tenha que procurar alguns arquivos para encontrar a resposta. Você sente que, se não o fizer, seu chefe ficará aborrecido e desejará manter seu emprego e sua renda.

Enquanto isso, seu parceiro envia mensagens de texto com um amigo do trabalho, joga um jogo on-line e assiste a vídeos engraçados. Uma hora se passa antes que você finalmente apague a luz, mas você mantém a TV ligada. Você e seu parceiro estão cansados ​​demais para conversar, muito menos fazer sexo.

Ou imagine que é meio dia. Você almoça com alguém que você está namorando, mas vocês dois checam seus telefones várias vezes antes que a refeição termine. Se você é solteiro e come sozinho, pode estar tão envolvido com seu telefone que não percebe o parceiro em potencial na mesa ao lado, que está tentando chamar sua atenção.

Esses exemplos podem ser exagerados. E, claro, não é apenas a tecnologia que nos consome. As pessoas têm vidas ocupadas, com maiores expectativas de trabalho, criação de filhos, cuidados com parentes idosos e outras responsabilidades diárias.

No entanto, enquanto a tecnologia nos mantém conectados ao mundo ao nosso redor, ela nos desconecta fisicamente de nosso parceiro ou da oportunidade de encontrar um novo parceiro? Que efeito isso tem em nossas vidas sexuais?

É difícil medir e variar de um lugar para outro, mas uma pesquisa recente na Grã-Bretanha pode nos dar algumas ideias.

Em novembro de 2013, os resultados da Pesquisa Nacional sobre Atitudes Sexuais e Estilos de Vida foram anunciados. Esta pesquisa é realizada a cada dez anos. A pesquisa mais recente cobriu o período de 2010 a 2012 e incluiu homens e mulheres entre as idades de 16 e 74 anos.

Os resultados mostraram que ambos os sexos estão fazendo sexo com menos frequência do que antes. Em pesquisas anteriores, que cobriam 1990-1991 e 1999-2001, homens e mulheres faziam sexo seis vezes por mês, em média. Na pesquisa de 2010-2012, essas taxas caíram para menos de cinco vezes por mês.

Por quê isso aconteceu? Poderia haver muitas razões, mas a recessão e a Internet poderiam ser as culpadas, pelo menos parcialmente.

Em uma entrevista à BBC , a Dra. Cath Mercer, da University College London, explicou: “As pessoas estão preocupadas com seus empregos, preocupadas com dinheiro. Eles não estão com disposição para sexo.

Ela acrescentou: “Mas também achamos que as tecnologias modernas estão por trás da tendência. As pessoas têm tablets e smartphones e as levam para o quarto, usando o Twitter e o Facebook, respondendo a e-mails”.

O que os casais podem fazer? Uma leitora chamada Elizabeth ofereceu uma solução em seu comentário ao site da  BBC :

Nós somos os pais da primeira vez e temos uma linda filha (não planejada) de 3 meses de idade. Ela era uma criança amorosa – o resultado do que antes era uma vida sexual incrivelmente ativa. Agora, nós não tivemos relações sexuais em cerca de cinco meses. Não impactou muito em nosso relacionamento – ainda estamos felizes e apaixonados, mas é preocupante. Nenhum de nós está interessado, por várias razões (principalmente ter um bebê constantemente ligado a mim!), Mas recentemente fizemos um acordo de que precisamos gastar menos tempo em sites de mídia social. Nós não gostamos do fato de nossa filha ter começado a olhar sem graça para as telas de nossos computadores portáteis, e odiamos o fato de que podemos passar quase uma noite inteira sentados lado a lado, mas interagindo apenas com nossos computadores. Talvez essa mudança nos ajude a reacender nossa vida entre os lençóis, quem sabe.

 

É importante lembrar que muitos fatores influenciam o quanto fazemos sexo. As condições de saúde, como diabetes e artrite, podem prejudicar nossas vidas sexuais. Então pode menopausa e disfunção erétil, Estresse, ansiedade, chegar ao orgasmo muito rápido e fadiga também não podem ser ignorados. Se você acha que uma condição de saúde pode estar contribuindo para problemas sexuais, consulte seu médico.

Além disso, a freqüência sexual típica de um casal pode ser baixa para outro. Isso não indica necessariamente um problema. Significa apenas que cada casal tem preferências diferentes. Eles precisam de diferentes quantidades de sexo para serem felizes.

O que você acha? A tecnologia já interferiu na sua vida sexual? Existe mais na história? Por que você acha que as taxas de freqüência sexual caíram na Grã-Bretanha? Você acha que as taxas caíram em outras partes do mundo? Sinta-se livre para nos deixar um comentário e compartilhar sua visão.

Como controlar uma ereção? O que é que dói? Tudo sobre o sexo dos homens …

Quando éramos pequenos, nos perguntávamos por que os meninos podiam urinar em pé e não conseguíamos. Hoje temos outras perguntas sobre o macho … Como controlar uma ereção ou  impotência sexual? O que lhes dói? Quem nunca quis ter um pênis uma vez, só para saber como se sente?

Para esclarecer nossas dúvidas, pedimos a seis homens que esclarecessem o mistério de sua anatomia. E eles aceitaram nos conduzir através de sua intimidade mais profunda: momentos na vida de um pênis.

Sexo na ereção, frequência As ereções geralmente ocorrem?

“Eu tenho, em média, entre cinco e dez ereções por dia, no verão, geralmente é mais frequente.” David .

“Pelo menos três vezes por dia, embora possa ir até 10. Na primavera eu tenho ereções o tempo todo …” Antonio.

“Quando eu não tive relações sexuais por um longo tempo, isso pode acontecer a qualquer momento … e facilmente mais de dez vezes por dia.” Jorge

“Sempre de manhã cedo, apenas levante-se, eu acho que é algo que acontece com todos nós … ” Enrique

O que causa ereções? Excitação ou às vezes pode ser automático, só porque o pênis quer isso?

“Basta saber que eu vou ter relações sexual. Antes de tudo começou, e eu me sinto preparado, e meu pênis também.” Enrique

“O fato de estar com uma garota linda e sexy, mesmo quando é hora de ir tomar um café … Eu não posso evitar, e é horrivelmente irritante.” David

“O despertador A ereção da manhã é sistemática, e isso se traduz na impossibilidade de fazê-lo durante a semana, porque meu parceiro e eu estamos sempre indo antes do tempo”. Julio

“Sugestão é o que me motiva: uma camisa desabotoada que revela algo de lingerie, por exemplo, que provoca certa curiosidade, desperta a imaginação … e uma ereção.” Antonio

“A visão de uma mulher nua.” Julho

“Quando minha namorada abraça-me sentir bem. E quando me sinto bem eu tenho uma ereção. Ele ‘s desconfortável minha namorada poderia pensar que sempre olhar para a frente para fazer amor com ela. E talvez não entende Estou feliz que me abraçar. ” Jorge

“As vibrações causam tem ereciones. É o que acontece quando dirijo meu mini Austin 75 …” Carlos

“Eu sempre tenho uma ereção quando eu adormecer. Mesmo apenas um sonho de dez minutos no ônibus … ” Daniel

” O desejo de urinar, então eu costumo esperar até eu ficar realmente animada em ir ao banheiro. ” Marcos

Causas da impotência Por que uma ereção às vezes não funciona?

“Depois de um dia cansativo, ou quando tenho preocupações que me estressam, acho mais difícil começar.” Julho

“Ter grama consumida, o pênis não responde aos do cérebro ou estímulos como você normalmente faz …” Daniel
“em uma mulher, o fato de ser um pouco embriagado, pode aumentar o desejo. Em vez disso, um homem, infelizmente, o oposto é verdadeiro. ” Enrique

” uma vez que o fato de eu não sentir qualquer ereção ao lado de uma mulher muito sexy sob meus lençóis ocorreu. naquela época, era em amor com outra mulher, então eu completamente bloqueada ” Marcos

Você sabe controlar sua ereção?

“Sim, com algum esforço e muita concentração, e o fato de pensar em alguém mais velho em sua família favorece o efeito de diminuir, por exemplo.” Julio

“É difícil para mim, eu tento pensar em coisas refrescantes, especialmente não sobre sexo, é um exercício duro e difícil.” Daniel

“Podemos conseguir o nascimento de uma ereção, mas quando já começou, é impossível.” Antonio

“Eu recito as tabelas de multiplicação, nunca pensei que seria usado para isso …” David

“Eu penso em coisas que me sobrecarregam, por exemplo, como fazer a declaração de renda.” Denis

“Eu sou incapaz de controlar uma ereção. Quando estou em pé ou com as pessoas, sinto-me compelido a colocar suas mãos nos bolsos. E isso parece que ninguém percebe … Ou então eu acho …” Marcos

As 20 melhores posições para um orgasmo clitoriano

No sexo, o mais importante é que você e seu parceiro consigam o máximo de prazer . Muitas vezes, ao querer satisfazer nosso menino, esquecemos o que realmente nos excita e nos dá prazer.

80% das mulheres são mais sensíveis ao orgasmo do clitóris , por isso hoje nós lhe trazemos algumas posições infalíveis para que você também possa atingir o orgasmo através do clitóris. A chave em todos eles é o fácil acesso ao pênis  para esta área sensível do corpo e da qual muitas vezes esquecemos.

E é que às vezes, seja pelo tamanho do pênis do nosso parceiro ou pela forma como fazemos amor, achamos que nunca podemos alcançar um certo prazer. Bem, tire essa ideia da sua cabeça, com a postura correta você pode fazer grandes coisas!

Desfrute de sexo com seu parceiro e conheça-se ainda mais, descobrindo algumas novas posturas para estimular o clitóris . Vire as páginas!

O moinho de vento : Esta posição facilita o acesso ao clitóris por ambos. Feche o seu cara com as pernas e ele é responsável por estimular a área.

Os millefolk : nesta posição quem decide o ritmo e a intensidade é a mulher, então ouça o seu corpo e marque os tempos para atingir o orgasmo. O atrito da área clitórica será a chave.

O 99: é praticamente a posição da “colher” uma das mais recomendadas para alcançar o orgasmo clitoriano. Ao manter suas mãos livres, seu parceiro pode acessar facilmente seu clitóris e estimulá-lo. Esta posição tem o elemento extra de proteção.A segurança de perceber o seu parceiro nas suas costas, torna você muito mais desinibido.

Agachamento : de volta seu parceiro terá mais controle da área do seu clitóris. Desta forma, enquanto você pode ser a queimadura que se move, ele será o único a estimular esta área.

Desengajamento nas escadas : enquanto ele penetra por trás, suas mãos estão livres para estimular seu clitóris. Além disso, o atrito de seus testículos, irá exercer uma estimulação extra, muito benéfico para o orgasmo clitoriano.

O clipe : nesta posição novamente é ele quem é responsável por acessar a área do seu clitóris e estimulá-lo com as mãos. Você pode acompanhar o movimento para alcançar maior prazer.

A liana : segure o tipo com esta posição do Circo do Sol, e seja ele quem é responsável por estimular seu clitóris.

Em suspensão : jogue o seu corpo para trás e deixe o seu clitóris ficar exposto à capacidade do seu parceiro. Mantenha um ritmo constante em seus movimentos e você alcançará um ritmo perfeito.

O abraço do Koala: com esta posição o orgasmo clitoriano está assegurado. Seu parceiro pode estimular seu clitóris enquanto observa suas costas. Combine fatores que satisfaçam vocês dois.

O caranguejo : aqui ele está encarregado de mover seus quadris e guiá-lo pelo caminho do orgasmo. Apenas confie nele e deixe-se levar.

O lobo : encurralado pelas costas, deixe o seu menino estimular seu clitóris, enquanto marca o ritmo. Esta posição é a mais sensual, o orgasmo é assegurado.

O agachamento : exercite as pernas enquanto controla o movimento da pélvis. Nesta posição você é responsável por manter o ritmo e marcar a intensidade. Estimular o clitóris de acordo com o pedido do corpo.

O polvo : uma vez que você encontre a posição em que você está confortável, mantenha uma de suas pernas para cima e deixe seu parceiro cuidar do resto.

69 : aconchegue-se em seu parceiro. Ele será encarregado de exercer o movimento, enquanto a estimulação do clitóris virá por atrito contra o seu corpo.

De joelhos : deixe-o ser aquele que carrega o peso da postura. Acomode-se e seu parceiro, além de definir o ritmo de penetração, terá acesso ao seu clitóris para atingir o orgasmo clitoriano.

A colher : além de ser uma posição íntima e romântica, a colher é uma posição muito propícia para o orgasmo clitoriano.

A cruz em chamas : com esta posição é impossível não atingir o orgasmo. Seu corpo inteiro vai vibrar de prazer

A trégua : postura calma e eficaz. Nenhum dos dois terá que fazer muito esforço. Um orgasmo sutil e intenso vai tomar conta do seu clitóris.

A vela : a chave que faz você atingir o orgasmo através do clitóris é o fato de manter as pernas no ar, o que aumenta sua sensibilidade. Deixe o que define o ritmo e estimule a área.

O veleiro : levante as pernas e deixe-o encarregado de manter o ritmo. Nesta posição, seu filho terá acesso à área do clitóris de maneira simples e direta.

Fonte: https://www.coresdelirios.com.br/como-fazer-uma-mulher-gozar-gostoso/

Dicas das Mulheres para Homens capricharem no Sexo

Segredinhos, passo a passo, truques e dicas quando falamos de sexo são sempre bem vindas não é mesmo?? Quando são dicas dadas por nós mulheres então! Nem se fala.

Homens vocês precisam acordar e olhar mais para suas parceiras! Não vale só as mulheres correrem atrás da relação. Vocês homens também precisam estudar, pesquisar e importar-se mais com sua parceira… seus gostos, fantasias, o jeitinho de fazer e a hora certa.

tamanho do penis para mulher

Nós mulheres que estamos sempre correndo atrás de segredos e mais segredos obre vocês para agradá-los cada dia mais. Hoje é nossa revanche. Separei algumas dicas importantes sobre o que nós mulheres gostamos em um homem e o que vocês devem fazer para nos agradar. Fique ligado e coloque tudo em prática! Sua parceira vai adorar!

Aparência conta sim! Não é só pra vocês homens que uma lingerie é sexy. Uma cueca maneira também faz sim a diferença na hora do prazer visual para apimentar as coisas… Nada que colocar aquela cueca furada hein? Abra a carteira e compre umas cuecas novas para agradar os olhos da sua mulher, combinado?? Vocês gostam de beijos pelo corpo?? De serem cheirados… não é verdade?? Então colabore né?? Primeiro lugar tome um banho bem tomado e não aquele banho de gato. Fique com o corpo limpinho para sua mulher caprichar naquele oral que você tanto gosta! Afinal chupar P… fedorento não dá né?? # Fica a Dica.

Ah!! Vocês não gostam também quando colocamos aquele hidratante caro e aquele perfume bem cheiroso?? Pois é. Nós também gostamos de homens cheirosos! Por isso capriche no perfume. Abra a carteira, já disse! Não vale também comprar aquele perfume que vende no mercado … Por favor hein meninos! Você não quer que sua mulher lembre só seu cheiro e fique com dor de cabeça né? Pense nisso na hora de escolher a fragrância ok??

Tem homens também que vão muito inseguros para a cama com a mulher, caso você esteja inseguro com o tamanho do seu documento, saiba que tem cremes e maneiras de como aumentar o pênis rapidamente.

Nós somos um pouquinho diferente de vocês, somos mais românticas por natureza, por isso capriche nos beijos e carícias, faça um oral caprichado e sem pressa na sua mulher. Deixe-a leve e relaxada com uma massagem. Que tal?? Faça tudo com carinho… diga coisas bonitas e outras mais apimentadas, deixe-a saber que você morre de tesão por ela e por seu corpo… A recompensa com certeza irá chegar.

Do mesmo jeitinho que gostamos de carinho, ás vezes uma pegada um pouco mais forte nos leva a loucura! Vocês precisam apenas saber o momento certo de fazer as coisas com sua mulher. Nosso humor varia é claro, afinal ninguém é igual a ninguém.

Voltando a questão da pegada mais forte… As vezes isso pode nos excitar muito! Uns apertões e uns tapinhas no bumbum também são bem vindos. Tentar coisas novas, posições diferentes também são uma ótima pedida. Fiquem ligados meninos e prestem mais atenção em suas mulheres!

Nenhuma mulher merece ficar chupando o dedo… se é que vocês me entendem. Não deixe sua mulher sem gozar. Nós também gostamos de chegar no ápice do prazer. Também não vale dar aquela rapidinha e virar pro lado e dormir. Gostamos de um carinhos pós foda, um beijo carinhoso, e quem sabe um segundo round.

Saibam que nós mulheres temos alguma dificuldade para ficar com tesão, mas quando ele chega em nós, gostamos de ser saciadas. E o fato de você se excitar com sua mulher novamente para um segundo round a deixará extremamente satisfeita e feliz. Ela sentirá que está lhe proporcionando prazer com sua companhia e seu corpo, e não que está sendo usada para aliviar as suas tensões( é o que pensamos quando vocês gozam e viram para o lado para dormir) Ninguém merece!

Pensem meninos, ajam também… importem-se mais com sua mulher. Nós estamos sempre correndo atrás para melhorar a relação, então é bem legal da parte de vocês fazerem o mesmo.

Como deixar seu namorado feliz no namoro

Se você gosta do seu namorado e a sua relação não está a correr muito bem é provável que você já tenha feito esta pergunta a si mesma: como fazer o meu namorado feliz?

De uma maneira ou de outra você sempre acaba por fazer esta pergunta, pois é comum a qualquer mulher que goste do seu namorado. Quer seja o seu primeiro relacionamento amoroso ou seja mais um de muitos a verdade é que ao manter o seu namorado feliz você está contribuir para a felicidade dos dois.

Afinal de contas se você apenas pensar naquilo que você gosta e quer no seu relacionamento amoroso e não se preocupar com o seu namorado é só uma questão de tempo até ele a deixar.

melhorando relacionamento

Mas agora aqui ficam as más notícias: perguntar ao seu namorado o que o faz feliz provavelmente não vai funcionar. Isto porque os homens não são muito emocionais, pois os homens usam fatos e coisas concretas pra lidar com as situações em vez do seu instinto.

O que faz o namoro feliz no relacionamento

É por isso que perguntar ao seu namorado o que o faz feliz não funciona, ele terá alguma dificuldade em lidar com as suas próprias emoções e a resposta que lhe der não é, com certeza, aquela que você procura… vai ser difícil para ele colocar em palavras aquilo que o faz realmente feliz; isto se ele próprio souber!

Mas isto não quer dizer que você não possa fazer nada. Diversos estudos e pesquisas com um elevado numero de pessoas diferentes revelaram algumas dicas sobre o que mantém um namorado feliz ao lado da sua parceira:

A coisa mais importante que uma mulher pode fazer para manter o seu namorado ou marido feliz pode parecer algo estranho, mas é verdade: a melhor maneira de manter o seu namorado feliz é você mesma ser feliz! Uma namorada feliz mantém o namorado também feliz.

Nunca esqueça que todo namoro é preciso ter um relacionamento sexual saudável também, se você passa por momentos de baixa libido, procure produtos naturais que de estímulos sexuais na mulher.

Isto é muito real. Não há nada que faça um namorado ou marido mais feliz que ver a sua namorada ou parceira feliz a seu lado. Não tem a haver com a sua aparência física nem com a sua disponibilidade para o sexo (embora estas duas coisas contem bastante) mas sim com a maneira como você se comporta quando está ao pé dele.

Para um homem, a melhor maneira de saber que o seu relacionamento está bem é sentir a sua namorada contente e feliz a seu lado, ver o seu sorriso e senti-la contente por estar a seu lado.

Para manter o seu namorado feliz também existe uma coisa que você deve evitar a todo o custo: Ser Irritante!

Chateá-lo sempre que ele comete um pequeno e insignificante erro demonstra que você não gosta dele da maneira que ele é e que não se sente feliz a seu lado. É por isso que ser irritante é a pior coisa que você pode fazer ao seu namorado. Ser irritante e chata é a morte de qualquer amor e interesse que o seu namorado possa sentir por si.

Problemas de impotência e micropênis no homem

Há dois problemas que podem afetar o homem em algum momento da vida, a impotência e o tamanho do seu pênis. Impotência – insuficiência ou disfunção erétil é a impossibilidade, quando o sujeito o deseja e é submetido a estimulação erótica satisfatória, a entrar em ereção e a realizar o ato sexual.

Duas grandes causas

  • Ausência de excitabilidade sexual normal
  • impossibilidade, para excitação suficiente, de uma ereção natural como resultado de lesões ou inibição nervosa, ou alterações dos vasos sanguíneos ou corpos cavernosos, ou uma deficiência de secreções hormonais.

Duas grandes categorias são geralmente distinguidas:

  • A insuficiência erétil do homem jovem, saudável de outra maneira, em quem um distúrbio psicológico sozinho previne a ereção
  • A chamada insuficiência erétil orgânica em pessoas com mais de 50 anos de idade e homens que foram diagnosticados com uma doença ou que sofreram uma cirurgia ou um acidente. Nesta situação, é importante encontrar o (s) órgão (s) afetado (s) e em que nível. No entanto, mesmo que a causa seja bem definida, a moral dessas pessoas ainda é alcançada, devido à incapacidade de ter uma ereção normal.

Problemas de micro-pênis

Micropênis é a sua indicação de referência a partir do tamanho do pênis, o homem se sente inferior e através pode desenvolver uma baixa confiança até chegar a causar uma impotência por causa do stress. Isso é determinado por um comprimento do pênis flácido inferior a 7,5 cm ou por um comprimento do pênis flácido esticado inferior a 13,5 cm em homens entre 20 e 40 anos de idade.

Tipos de tratamentos

Hoje em dia há produtos naturais que podem dar conta do recado, como o produto macho macho que pode aumentar em até 5 centímetros o pênis em um mês, o que é considerado muito rápido. O creme macho é um dos mais vendidos do mundo para essa finalidade, muito bom para quem não quer passar por cirurgias.

Para a Faloplastia há 2 técnicas cirúrgicas são propostas:

  • A injeção de gordura autóloga (retirada da mesma pessoa) aumenta o volume do pênis. Até o momento, não é possível prever a qualidade dos resultados a longo prazo.
  •  A secção do ligamento cruzado anterior (os músculos da parte inferior da haste são parcialmente cortadas e estiradas uretra) permite aumentar o pênis de 2 a 3 cm. Esta operação não é isenta de perigo e complicações foram destacadas por estudos recentes. Consequências: Nenhuma alteração na função erétil foi relatada, mas a cautela é a regra como:
    • o papel do ligamento suspensor (aqui seccionado) é garantir a estabilidade axial do pênis ereto;
    • o pênis de cada indivíduo tem peculiaridades biomecânicas específicas. A longo prazo, a ereção poderia ser alterada por essa mudança de tamanho.

A faloplastia não melhora o desempenho sexual. Na maioria dos casos, é um problema psicológico (dismorfofobia) que é tratado cirurgicamente. No momento, esta cirurgia permanece controversa e assim permanecerá até que seja validada (benefício indiscutível para o paciente).

Quero engordar, e agora?

SAÚDE explica por que alguns indivíduos travam uma espécie de guerra às avessas contra a balança e ensina como fazer para o ponteiro subir sem riscos para o corpo

Magro de ruindade – é assim que costuma ser chamado o sujeito que come sem se preocupar com o vai e vem do peso corporal. O que para uns representa uma dádiva, para outros é motivo de insatisfação com o reflexo no espelho. Se for o seu caso, saiba que, antes de aprender a ganhar uns quilos, é preciso conhecer os motivos por trás da magreza exagerada. “Quanto pesamos é sempre resultado da relação entre o que comemos e a energia consumida durante o dia”, explica a endocrinologista Lilian Kanda Morimitsu, do Hospital Santa Cruz, em São Paulo. “Nosso metabolismo controla a quantidade de calorias queimadas ou armazenadas. Nos magros, ele tende a ser mais acelerado.”

quero engordar

A genética dá uma mãozinha. “Existem pessoas com propensão familiar a ter uma estrutura pequena, ossos mais finos, poucos músculos e baixo acúmulo de gordura”, pondera a endocrinologista Rosana Radominski, presidente do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Mas, descartada a hipótese da herança dos genes, é preciso investigar. Ser muito magro, para início de papo, difere de emagrecer subitamente. “Avaliar a velocidade da perda dos quilos é mais importante do que o número apontado na balança. Se a queda é rápida demais, a culpa pode ser de males da tireoide, diabete ou transtornos alimentares”, lista Rosana.

As refeições merecem análise atenta. “Ao deixar de consumir algumas vitaminas e minerais, a pessoa fica predisposta a alterações metabólicas e até diminuição de massa muscular”, adverte a nutricionista Thais Arthur, do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. “Se ele eliminou 5 quilos ou de 5 a 10% de seu peso total em seis meses sem motivo aparente, vale procurar um médico”, sugere Lilian.

Se a pessoa sempre foi magra, só é para se preocupar quando o índice de massa corpórea, o IMC, é menor que 17. Nesse parâmetro, um homem de 1,70 metro de altura, por exemplo, precisaria ter 50 quilos ou menos para ser considerado abaixo do normal. A questão é: quando está tudo bem com a saúde e o objetivo é mesmo ganhar, digamos, mais recheio no corpo, haja disciplina. Engordar é mais difícil que emagrecer. E o foco da batalha deve ser aumentar a massa magra, ou seja, os músculos.

“O principal erro é simplesmente começar a comer porções generosas de alimentos com gordura e açúcar, que, além de pobres em nutrientes, estão vinculados ao surgimento de diabete e colesterol elevado nas artérias”, alerta a nutróloga Vivian Sued, da Associação Brasileira de Nutrologia. Daí, é um pulo para o surgimento de um falso magro. Ou seja, um indivíduo que aparentemente não é gordo, mas apresenta altos índices de tecido adiposo entre os órgãos e corre maior risco de ser acometido por um infarto ou um derrame.

Na hora de montar a dieta especial, não basta passar longe de fontes de gorduras saturadas, caso do bacon e do chocolate, mas também evitar outros tipos de cilada, como o exagero nas proteínas. Famosas nas academias de ginástica por auxiliar no crescimento dos músculos, elas devem ser consumidas com moderação, já que, aos montes, causam um efeito contrário ao esperado. “Estudos apontam que sua ingestão excessiva dispara os níveis de cortisol, hormônio responsável, entre outras coisas, por facilitar o catabolismo”, explica o educador físico Júlio Serrão, da Universidade de São Paulo. Em outras palavras, ao ingerir proteína em demasia, o corpo entende que o tecido muscular está “sobrando” e pode ser utilizado como fonte de energia para as funções vitais. Assim, o processo acaba barrando o aumento da massa magra.

Isso não quer dizer, entretanto, que esse nutriente deva ficar de lado. “Os aminoácidos da comida, que, no organismo, se transformam em proteínas, são essenciais para o crescimento de todos os tecidos do corpo, em especial os músculos”, complementa Vivian Sued. Mas a quantidade máxima recomendada para todos é de 0,8 a 1 grama por quilo do peso corpóreo por dia. “Se o indivíduo deseja turbinar a musculatura, pode aumentar esse valor para no máximo 1,2 grama”, recomenda Vivian. Suplementos merecem cuidado especial e devem ser ingeridos somente sob recomendação de um nutricionista.

O regime correto só surte resultados positivos se vier acompanhado de boas doses de exercício (confira no quadro abaixo). E não adianta devorar carboidratos à beça antes de partir em direção à academia. “Nesse caso, o corpo não metaboliza a comida a tempo de ser utilizada como energia para os músculos. Logo, ingerir alimentos pesados e ir treinar causará, no máximo, uma indigestão”, aponta Serrão. Antes de iniciar qualquer atividade física ou novo cardápio, consulte seu médico, preparador físico e um nutricionista. Somente assim o peso deslancha e a saúde permanece intacta.

Suando a camisa

Movimentar-se é essencial para garantir que o corpo vai utilizar bem as calorias extras. Na hora da malhação, aposte em treinos que exijam força. Mas cuidado: o excesso também é prejudicial. Dar pouco tempo de descanso aos músculos faz com que eles não se regenerem das microlesões causadas durante o exercício – e essa recuperação é justamente o que faz com que a massa muscular aumente.

O plástico engorda a molecada?

Esse material muitas vezes tem bisfenol A, composto que deixaria crianças e adolescentes rechonchudos

Por ter sido associado a problemas graves como o câncer, o bisfenol A já está no banco de réus da ciência há anos. Mas, agora, um novo estudo traz outra acusação contra a substância. Ela, que ganha acesso ao corpo pelo contato de certos produtos plásticos com a boca, ajudaria a promover a obesidade infantil. Pesquisadores da americana Universidade de Nova York analisaram as taxas dessa molécula na urina de mais de 2 800 voluntários entre 6 e 19 anos e descobriram que 22% dos jovens com altas doses de bisfenol A no xixi eram obesos. A quantidade de cheinhos era duas vezes menor na turma com baixos índices dessa partícula na bexiga. “O artigo é importante, porque abrange um número grande de indivíduos”, reitera a endocrinologista Tania Bachega, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Não que o composto engorde por si só, mas ele talvez contribua para o crescimento da barriga por desregular os níveis de alguns hormônios.

crianca obesa

Onde encontramos o bisfenol A

Já se sabe que ele pode estar em brinquedos, embalagens de alimentos, garrafas e em todos os plásticos que contenham uma substância chamada de policarbonato. A questão é que não há nenhuma lei que obrigue as empresas a mostrar, nos rótulos, se o produto contém ou não bisfenol A. No ano passado, entretanto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, proibiu o uso desse químico na fabricação de mamadeiras.

Até asma!

Ela também entrou no rol de encrencas relacionadas ao bisfenol A. Um trabalho da Universidade Penn State, nos Estados Unidos, observou a exposição de gestantes a esse material e, depois, a saúde respiratória de seus rebentos até os 6 meses de idade. Resultado: os filhos de mãe com contato frequente com a molécula nociva à saúde apresentaram um risco duas vezes maior de sofrer com a asma.

Bebês que tomam antibióticos podem ter problemas com a balança

Pesquisas inéditas garantem: nos primeiros meses de vida, o uso indiscriminado das substâncias que combatem bactérias pode contribuir com o ganho de quilos extras.

bebe saudavel

O médico escocês Alexander Fleming (1881-1955) revolucionou a medicina quando encontrou, em 1928, uma maneira de combater as infecções bacterianas, verdadeiras epidemias que, até então, não tinham adversários à altura. Seu grande achado foi a penicilina, o primeiro antibiótico do mundo, que culminou no desenvolvimento de vários outros ao longo dos anos. Passadas mais de oito décadas, os frutos de sua descoberta inicial foram associados, agora de maneira negativa, a mais um surto: o da obesidade infantil.

O alerta vem da Universidade de Nova York, nos Estados Unidos, onde um trabalho avaliou mais de 11 mil meninas e meninos nascidos entre 1991 e 1992. Segundo os especialistas, a prescrição de antibióticos antes dos 6 meses de idade patrocinou o surgimento de gordurinhas poucos anos depois. “As crianças que tomaram esses medicamentos apresentaram um risco 22% maior de ficar acima do peso”, revela o pediatra Leonardo Trasande, autor da investigação.

Outro experimento da mesma instituição reforça a tese. Nele, ratos jovens receberam doses de antibiótico junto com a refeição. Após algumas semanas, as cobaias tiveram um aumento de 15% na gordura corporal. “Ao que tudo indica, os remédios alteraram a flora intestinal, elevando o aproveitamento das calorias dos alimentos”, explica o gastroenterologista Ilseung Cho, líder do estudo. Os antimicrobianos também favoreceram a reprodução de bactérias que incentivam o organismo a diminuir o gasto energético. “Esse processo é mais intenso nos primeiros anos de vida, fase em que o sistema digestivo engatinha”, acrescenta a endocrinologista Maria Edna de Melo, da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica.

Esses artigos ganharam destaque dentro da comunidade científica por serem os primeiros a relacionar antibióticos com sobrepeso, principalmente em uma etapa da vida em que o corpo está em plena formação. Alguns levantamentos já tinham até comprovado que as mudanças na flora intestinal levam à obesidade. “Mas as pesquisas americanas foram pioneiras por advertirem que esses medicamentos são desencadeadores do processo”, acrescenta o endocrinologista Walmir Coutinho, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Os estudos da Universidade de Nova York engrossam um coro cada vez mais forte de entidades que lutam por uma prescrição consciente. “Existem vários fatores que levam ao exagero na indicação dos remédios que matam as bactérias”, atesta o pediatra Fábio de Araujo Motta, do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba. O principal deles é a pressão dos pais. “As pessoas pensam que, se o médico não lançar mão de um fármaco, ele não está fazendo seu trabalho direito”, lamenta.

É fundamental ressaltar também que o modelo de atendimento rápido, por meio de prontos-socorros, impossibilita o tratamento adequado. “O médico que faz as consultas nesses locais dificilmente conhece o histórico do paciente. Portanto, ele prefere não arriscar, recomendando de cara o uso de uma substância antibactérias”, critica Fabio Ancona Lopez, pediatra do Departamento de Nutrição da Sociedade de Pediatria de São Paulo.

É claro que os pais precisam obedecer às recomendações do especialista. “Os antibióticos são indispensáveis na presença de uma doença bacteriana confirmada por exame e avaliação clínica detalhada”, salienta a neonatologista Betania Bohrer, do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre. “Nenhuma mãe deve deixar de dar antibiótico ao filho que está com uma infecção dessas com medo de engordá-lo”, reforça a endocrinologista Maria Edna de Melo. Daí a importância de consultar um pediatra de confiança, que acompanhe a criança desde a mais tenra idade.

Além do ganho de peso, o excesso de antimicrobianos acarreta um perrengue grave. Quando o indivíduo usa essas drogas de forma errada, contribui para que as bactérias fiquem poderosas e resistam bravamente ao ataque dos seus oponentes. Ora, para combater essas versões mutantes, são necessárias doses cada vez mais fortes e variadas. Nesse processo, certos micro-organismos acabam ficando extremamente vigorosos – hoje, as chamadas superbactérias são uma realidade e começam a preocupar autoridades mundo afora (veja abaixo).

Para reduzir o consumo equivocado, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão que regula a comercialização de remédios no Brasil, tornou mais rigorosa a compra de antibióticos. Desde 2010, ela só é autorizada com receita. Na farmácia, uma via fica retida, junto com diversos dados do médico e do paciente. O pedido, diga-se, é válido apenas por dez dias. Nada mais do que isso.

Em qualquer fase da vida, o uso dos antibióticos depende do aval de um profissional de saúde. Quem utiliza esse tipo de remédio por conta própria assume riscos tanto para si como para o resto do globo. E, de quebra, ajuda a inserir uma nota de rodapé nada positiva na história de Alexander Fleming e na de sua invenção.

Nutrição infantil desvendada

Os dados preocupam: 80% das crianças brasileiras consomem mais açúcar do que o recomendado. Para piorar, 89% dos pequenos extrapolam a quantidade de gordura estabelecida pelos órgãos de saúde e 82% não alcançam o valor mínimo de ingestão de fibras. Os dados, que fazem parte da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aumentam a preocupação de pais e familiares sobre a melhor maneira de oferecer aos seus filhos alimentos saudáveis. O caminho, sem dúvida, é árduo: bolachas recheadas e salgadinhos parecem sempre chamar mais a atenção infantil do que uma cenoura ou uma maçã.

Para socorrer pais e mães aflitos, o pediatra Mauro Fisberg, professor da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo, lança o livro Guia Descomplicado da Alimentação Infantil (Editora Abril), com as revistas SAÚDE e CLAUDIA. A obra também conta com 40 receitas da nutricionista Priscila Maximino, da Nutrociência Assessoria em Nutrologia, em São Paulo, que tornam as refeições da garotada mais saudáveis e divertidas – inclusive, você confere uma receita inédita na página 64. Nesta entrevista, Fisberg faz algumas sugestões sobre como transformar a hora de comer em momentos de alegria, sem grandes complicações.

alimentos

SAÚDE – Qual é a importância de começar uma alimentação saudável ainda na infância?

Mauro Fisberg – Os hábitos são criados muito precocemente. Acredite: a maioria deles surge durante o primeiro ano de vida. É nessa fase que os pequenos começam a experimentar comidas diferentes do leite. Os costumes alimentares aparecem quando os adultos oferecem algum ingrediente repetidas vezes, combinando volumes diferentes e consistências diversas. Defendo que a alimentação deve ser idêntica à dos pais. Isso, claro, se eles tiverem uma dieta equilibrada. O bom exemplo faz com que as preferências se estabeleçam, se consolidem e possibilitem uma maior variedade na alimentação ao longo de toda a vida.

Então a preferência por certos alimentos e a recusa a outros vêm de berço?

Preferir certos sabores é normal e isso pode ser influenciado até pela genética. Mas nem sempre o gosto é uma característica inata da criança. Seu paladar é influenciado pelos hábitos da família e, também, por experiências passadas, boas ou ruins, com determinado alimento. O filho deixar de comer uma coisa ou outra não deve causar preocupação nos pais. A seletividade exagerada, sim, é outra história. Ou seja, não tem problema quando não come mamão mas aceita outras frutas. O problema é quando ele bloqueia todo um grupo de alimentos – a criança que fecha a boca para qualquer verdura, por exemplo.

Quais são os erros mais comuns que os pais cometem na hora de educar os filhos em termos de alimentação?

O primeiro é ser um modelo ruim. A dieta da criança segue a dos pais e de seus familiares. Em segundo lugar, é o fato de os adultos não estabelecerem limites, deixando o pequeno consumir o que quiser, ou serem muito restritivos e rígidos. Nenhum dos excessos é adequado. O terceiro equívoco é não ter ideia do que oferecer aos filhos. Ou seja, preparar um alimento que não está de acordo com a faixa etária, numa consistência inadequada, ou uma combinação que não é apropriada para a criança.

No livro, o senhor trabalha com o conceito de funky food. Por que os familiares devem incentivar o lúdico nas refeições?

O conceito de funky food foi criado nos Estados Unidos e utiliza técnicas divertidas e agradáveis para apresentar e modificar a alimentação. São formas lúdicas de preparar a comida. O prato é montado com rostinhos, figuras e desenhos, de forma que seja atrativo. O objetivo não é mascarar um produto, e sim encontrar um jeito divertido de apresentar uma comida. Dessa maneira, é possível colocar ingredientes que o menino ou a menina não ingerem habitualmente, como verduras, legumes, frutas e até mesmo algum tipo de carne. É muito importante apontar para a criança quais itens foram utilizados, estimulando-a a experimentar novos sabores por meio da diversão.

Qual é a importância dessa obra para toda a família?

Como o próprio título já diz, nosso objetivo é tentar desmitificar e descomplicar a alimentação infantil. A refeição deve ser gostosa, bem apresentada, rápida e prática. A reunião à mesa precisa ser transformada em um evento que mescla alegria e união. A comida deve ser, ao mesmo tempo, fonte de nutrientes e de prazer. Acredito que precisamos reeducar as famílias nesse sentido. O livro procura fazer com que a criança coma melhor sem complicar e, principalmente, sem despertar cobranças e culpa.